Conecte-se Conosco

Política

Operação Lucas 12: Investigação aponta que Flordelis mandou matar marido

A deputada federal é apontada na investigação como mandante do assassinato.

Published

em

A Polícia Civil do RJ e o Ministério Público do Rio de Janeiro cumpriram nesta segunda-feira (24) 9 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão contra 11 investigados de participar do assassinato do pastor Anderson do Carmo de Souza, executado com mais de 30 tiros em 16 de junho de 2019.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) afirmou que pelo fato de Flordelis (PSD-RJ) ter imunidade parlamentar não foi alvo de mandado de prisão, entretanto, a deputada federal é apontada na investigação como mandante do assassinato.

Denunciados

  1. Flordelis dos Santos de Souza: por homicídio triplamente qualificado; tentativa de homicídio duplamente qualificado; associação criminosa majorada; uso de documento ideologicamente falso e falsidade ideológica;
  2. Marzy Teixeira da Silva (filha adotiva): homicídio triplamente qualificado; tentativa de homicídio duplamente qualificado e associação criminosa majorada;
  3. Simone dos Santos Rodrigues (filha biológica): homicídio triplamente qualificado; tentativa de homicídio duplamente qualificado e associação criminosa majorada;
  4. André Luiz de Oliveira (filho adotivo): homicídio triplamente qualificado; tentativa de homicídio duplamente qualificado e associação criminosa majorada;
  5. Carlos Ubiraci Francisco Silva (filho adotivo): homicídio triplamente qualificado;
  6. Adriano dos Santos (filho biológico): associação criminosa e uso de documento falso;
  7. Flavio dos Santos Rodrigues (filho biológico): Associação criminosa e uso de documento ideologicamente falso;
  8. Lucas Cezar dos Santos (filho adotivo): associação criminosa;
  9. Rayane dos Santos Oliveira (neta): homicídio triplamente qualificado e associação criminosa majorada;
  10. Marcos Siqueira (ex-policial): associação criminosa e uso de documento falso;
  11. Andreia Santos Maia (mulher do ex-policial): associação criminosa e uso de documento falso.

Nome da Operação

“Lucas 12” refere-se a um dos capítulos do evangelho de Lucas. No capítulo, Lucas narra uma longa fala de Jesus a uma multidão.

“Tenham cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.
Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido.” disse Jesus.

“O que vocês disseram nas trevas será ouvido à luz do dia, e o que vocês sussurraram aos ouvidos dentro de casa, será proclamado dos telhados.” completou.

“Eu lhes digo, meus amigos: não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer.”

“Mas eu lhes mostrarei a quem vocês devem temer: temam aquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no inferno. Sim, eu lhes digo, esse vocês devem temer.”