Conecte-se Conosco

Política

PGR denuncia Witzel, Pastor Everaldo e mais 11 por corrupção e lavagem de dinheiro

Segundo a PGR, a propina foi paga pelo empresário José Mariano Soares de Moraes, por meio do escritório de advocacia de Wagner Bragança.

Published

em

A Procuradoria-Geral da República denunciou hoje, por corrupção e lavagem de dinheiro o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o Pastor Everaldo, o ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Alves dos Santos, além de empresários e advogados.

No total, a denúncia acusa 13 pessoas de participação no pagamento de propina de R$ 53,3 para o grupo de Witzel, em troca de pagamentos do estado para a organização social que geria o Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus.

Segundo a PGR, a propina foi paga pelo empresário José Mariano Soares de Moraes, por meio do escritório de advocacia de Wagner Bragança.

“Nota-se que o repasse dos recursos aos demais denunciados ocorria poucos dias após o crédito efetuado pela OS HMTJ na conta do escritório Nogueira, Simão e Bragança Advogados Associados ou até no mesmo dia”, diz um dos trechos da denúncia.

Foram também denunciados o empresário Edson da Silva Torres; a advogada Juliana Nunes Vieira Leite; o operador financeiro Victor Hugo Amaral Cavalcante Barroso; além de Liliana Cavalcante Barroso (Murano Empreendimentos), Soraia Amaral Cavalcante Barroso (South America Properties), Allan Feitosa de Oliveira, Victor Vianna Costa (USS Holding) e Victor Duque Estrada Zeitune — todos sócios de empresas que intermediaram os pagamentos, segundo a PGR.

Por: oantagonista