Conecte-se Conosco

Política

Ramos deve dizer à PF que participação de coronel em live era ‘plano B’

Participação do coronel Eduardo Gomes da Silva em live do presidente Jair Bolsonaro foi indicação do general Luiz Eduardo Ramos

Published

em

BRASÍLIA, DF – Aliados e assessores do ministro da Defesa, general Luiz Eduardo Ramos, garantem que ele deve dizer à Polícia Federal que a participação do coronel Eduardo Gomes da Silva na live do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi um “plano B”. O depoimento de Ramos à PF está marcado para segunda-feira (30).

A ideia original era que um especialista em segurança digital estivesse na transmissão, que aconteceu no dia 29 de julho de 2021. Na ocasião, o presidente criticou as urnas eletrônicas e o seu funcionamento, além de apontar indícios de fraudes nas eleições de 2018. No entanto, o especialista acabou não comparecendo.

Dessa forma, Ramos, então ministro da Casa Civil, indicou o coronel Eduardo Gomes para participar da live. Durante a transmissão, Gomes foi apresentado pelo presidente como “analista de inteligência”. Após o término da live é que o presidente identificou Gomes como coronel.

Ainda no mês de agosto, Eduardo Gomes da Silva foi nomeado secretário especial de Modernização do Estado, na Secretaria-Geral da Presidência da República. Na transmissão, ele disse que as urnas têm “problemas” e precisam de melhorias. No entanto, não apresentou dados para comprovar a tese.

(*) Com informações da CNN Brasil.