Conecte-se Conosco

Política

Com aval de Bolsonaro, Valdemar troca comando do Banco do Nordeste para acalmar militância

O diretor de negócios, Anderson Possa, será empossado como presidente interino até que seja concluída a análise da indicação de Ricardo Pinto Pinheiro

Published

em

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente do Banco do Nordeste (BNB), Romildo Rolim, foi exonerado do cargo hoje pelo Conselho de Administração da instituição, que é ligada ao governo federal. O fato ocorreu 3 dias após o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, pedir publicamente a demissão de toda a diretoria do banco. Em um vídeo divulgado pelo partido, ele disse que foi questionado por Jair Bolsonaro sobre a existência de um contrato do banco no valor de aproximadamente R$ 600 milhões por ano com uma ONG.

O diretor de negócios, Anderson Possa, será empossado como presidente interino até que seja concluída a análise da indicação de Ricardo Pinto Pinheiro, escolhido por Valdemar Costa Neto para o posto. Romildo Rolim estava no cargo desde 2017 e também foi indicado pelo presidente do PL, o que deixa claro que Valdemar fez um teatro para acalmar a militância bolsonarista.

Em meio às trocas no BNB, presidente do PL também indicou o economista José Gomes da Costa para assumir o cargo de diretor Financeiro e de Crédito no lugar de Hailton José Fortes, também implicado no suposto esquema irregular. A disputa política pelo controle do Banco do Nordeste envolve interesses pelo principal ativo da instituição, a carteira de microcrédito avaliada internamente em cerca de R$ 30 bilhões.