Conecte-se Conosco

Política

Bolsonaro é homenageado em Aparecida: “genocida”, “lixo”, “assassino”

Ao chegar à basílica da cidade, o presidente foi vaiado por críticos e ouviu gritos de “mito” de apoiadores que o aguardavam no local

Published

em

Jair Bolsonaro foi a Aparecida, no interior de São Paulo, nesta segunda-feira (12), dia do feriado que homenageia a padroeira do Brasil, para os católicos.

O presidente foi recebido por centenas de pessoas em frente à basílica. Apesar dos gritos de “mito” de alguns apoiadores, Bolsonaro também foi chamado carinhosamente de “genocida”, “lixo” e “assassino”.

Surpreendentemente, o presidente e integrantes de sua equipe estavam de máscara de proteção contra a Covid.

Momentos antes da chegada de Bolsonaro, o arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, sem citar nominalmente o presidente, se posicionou contra o armamento da população e mencionou a corrupção e a disseminação de fake news.

Na basílica, Bolsonaro participou de uma missa, fez uma leitura bíblica e leu uma consagração à Nossa Senhora. O presidente se diz católico, embora também tenha sido batizado como evangélico, nas águas do Rio Jordão, pelo pastor Everaldo, que acabaria sendo preso por corrupção.