Conecte-se Conosco

Política

Fake News de Bolsonaro sobre aids e vacina vai para relatório da CPI

Além disso, a comissão comunicará ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o novo crime do presidente conste do inquérito das fake news

Published

em

O vice-presidente da CPI da covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que uma nova fake news divulgada por Bolsonaro, sugerindo que as pessoas imunizadas contra a covid-19 têm desenvolvido síndrome da imunodeficiência adquirida (aids), constará no relatório final do colegiado.

Além disso, a comissão comunicará ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o novo crime do presidente conste do inquérito das fake news.

“A reiteração de crime do presidente da República será acrescentada ao relatório, sem dúvida nenhuma, além da providência que estamos fazendo da comunicação ao ministro Alexandre de Moraes”, disse Randolfe nesta segunda-feira (25) ao UOL.

De acordo com o senador, Bolsonaro é um “delinquente contumaz” e pratica crime de fake news de forma continuada e reiterada.

“Um requerimento do senador Alessandro Videira (Cidadania-SE) e um ofício ao ministro do STF Alexandre de Moraes pede providências sobre fake news do presidente, sobretudo contra vacinas”, disse o senador.

Entre as medidas, os senadores vão propor que o STF determine a Bolsonaro que se retrate no mesmo canal usado na live sob pena de receber multa.

No âmbito do inquérito das fake news, eles também vão pedir que seja avaliada a suspensão do presidente ou até o banimento das redes sociais. O mesmo pedido será feito ao Facebook e Instagram.

“As vacinas disponíveis contra a covid-19 são seguras e eficazes. Elas salvam vidas! Não acreditem em quem estava negociando propina ao invés de vacina, acreditem na ciência! Fake news mata, um presidente que cometeu crimes contra a humanidade, também!”, Renan Calheiros

“Bolsonaro, ao vivo nas redes, disse que a vacina contra covid provoca aids. Isso não é apenas fake news, é mais do que uma simples mentira – isso é terrorismo de Estado. A Justiça precisa frear essa loucura”, postou o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL).

Fake news

O governo do Reino Unido desmentiu que seus relatórios oficiais estariam fazendo essa associação entre covid-19 e aids, conforme propagou Bolsonaro.

Segundo o governo daquele país, a notícia falsa foi publicada no site conspiracionista beforeitnews.com, que publica mentiras contra a vacina.

A mensagem falsa diz que “uma comparação de relatórios oficiais do governo sugere que os totalmente vacinados estão desenvolvendo a síndrome de imunodeficiência adquirida [AIDS] muito mais rápido do que o previsto.”

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil