Conecte-se Conosco

Bastidores da Política

Depois da Lava Jato, Bolsonaro vai sepultar plano Real, opina Moro

Dias após a oficialização de sua entrada na política partidária, o ex-juiz Sergio Moro tem intensificado as críticas públicas ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido), do qual fez parte até abril de 2020 como ministro da Justiça. Em novo artigo publicado hoje na revista Crusoé, ele escreve: “Sepultada a Lava Jato pelo atual governo, a próxima vítima parece ser o Plano Real”.

Published

em

Dias após a oficialização de sua entrada na política partidária, o ex-juiz Sergio Moro tem intensificado as críticas públicas ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido), do qual fez parte até abril de 2020 como ministro da Justiça. Em novo artigo publicado hoje na revista Crusoé, ele escreve: “Sepultada a Lava Jato pelo atual governo, a próxima vítima parece ser o Plano Real”.

“Ampliar programas de transferência de renda, considerando o cenário econômico, é positivo, mas isso poderia ser feito sem arrebentar o teto de gastos. O país, sobretudo os mais pobres, pagarão um preço caro pelo populismo do governo federal”, escreve.

Na quarta-feira (3), Moro já havia criticado, pelo Twitter, a tentativa do governo de viabilizar o Auxílio Brasil —novo Bolsa Família— por meio da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Precatórios.

“Aumentar o Auxílio Brasil e o Bolsa Familia é ótimo. Furar o teto de gastos, aumentar os juros e a inflação, dar calote em professores, tudo isso é péssimo. É preciso ter responsabilidade fiscal.”.

Mais comentários sobre política

Na coluna, o ex-ministro da Justiça escreve ainda que os motivos da sua volta ao Brasil e ingresso no Podemos, no próximo dia 10, serão revelados no mesmo dia da filiação.

Ontem (4), veio a público que o ex-coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, também deve trocar a carreira de jurista pela política. O procurador pediu exoneração do MPF (Ministério Público Federal). Segundo o site O Antagonista, ele também deve se filiar ao Podemos.